O dicionário completo do design

O dicionário completo do design

Paula Sá
2018-04-27
Desde o ano de 1995 que se celebra o Dia Mundial do Design Gráfico e nós não podíamos falhar esta data! Neste artigo, reunimos tudo aquilo que precisa de saber para se tornar um spécialiste em design! Tome nota.

Linha

As linhas podem ser retas ou curvas, curtas ou longas, verticais, horizontais ou diagonais, podem ter diferentes cores e padrões, serem mais grossas ou mais finas, tracejadas ou totalmente preenchidas.

No design, elas são usadas para direcionar a visão do utilizador, delimitar secções, destacar conteúdo ou dar movimento.


Escala

A escala e a respetiva proporção destaca alguns elementos do design e diminui a força de outros, contribuindo, desta forma, para a compreensão da mensagem visual.


Cor

A cor dá, muitas vezes, significado ao que queremos transmitir no design - saber mais aqui. Antes de começar a desenhar, deverá ter em mente uma paleta coerente com a mensagem que quer passar com cores que, em conjunto, são agradáveis ao olho humano. Também podem ser criadas desarmonias com a intenção de chocar, provocar ou ser diferente, o que é possível, desde que usado de forma inteligente e fundamentada.


Repetição

A repetição ajuda a fortalecer a unidade de elementos individuais e é um elemento fundamental para o organização do design. É muito importante também para a consistência: os elementos parecem ter um propósito, como as maiúsculas sempre coloridas ou uma marca de água no final das páginas.


Espaço Negativo

O espaço negativo é, por outras palavras, o “espaço vazio”. Alguns estudos comprovam que o bom uso do espaço negativo pode aumentar a compreensão de uma mensagem visual até 20%. Existe a ideia errada de que deixar algum espaço vazio dá a sensação de desleixo, falta de criatividade ou preguiça. No entanto, não pensar em espaços em branco sem elementos, pode tornar o design confuso.

Quando dizemos “espaço em branco”, não leve isto à letra. O espaço negativo é uma parte no design que não é ocupado por nenhum elemento ativo, mas pode ser de qualquer cor!

E não se esqueça, “less is more”.


Simetria e Assimetria

A simetria é quando cada elemento de um lado da linha central é repetido do outro lado. É lógico, simples, dá uma sensação de calma e o olho humano é naturalmente atraído por ela. No entanto, demasiado uso de simetria pode se tornar aborrecido, expectável e enfadonho.

A assimetria também pode ser equilibrada, através da variação de elementos e posições. É mais difícil e engenhoso, mas torna-se mais dinâmico e atrativo.


Transparência

Uma imagem com um alto grau de transparência permite ver o que está para trás e, assim, interligar os elementos. Se a imagem for mais opaca, a informação também é vista com mais clareza.

A transparência também pode ser utilizada para criar movimento.


Textura

A textura dá uma sensação de tacto ao design, podendo torná-lo mais profundo, como se lhe pudéssemos tocar. Deve ser usada moderada e intencionalmente.


Equilíbrio

No design, cada elemento tem um “peso”. O equilíbrio garante que haja uma harmonia visual. Esse equilíbrio é feito, maioritariamente, com escala e composição.


Hierarquia

A hierarquia ajuda os utilizadores a entenderem e navegarem sob o design e sinaliza a importância dos elementos. Para existir hierarquia, utiliza-se a escala, a linha, a cor, entre outros.


Contraste

Elementos grandes ou pequenos, escuros ou claros, quadrados ou círculos podem criar contraste no design. Quanto maior for a diferença, maior é o contraste. E é importante que a diferença seja notória, caso contrário poderá parecer um descuido do designer. Mas cuidado para não exagerar. O contraste dá ênfase e destaque aos elementos, se contrastar tudo o utilizador não vai saber por onde começar.


Enquadramento

Quando falamos em composição, estamos a falar da maneira como os elementos se dispõem dentro de um enquadramento. Sempre que fazemos uma peça gráfica, estamos a trabalhar dentro de um layout limitado, com margens e dimensões definidas.

O enquadramento trabalha como auxiliar no destaque de certos elementos e pode servir como corte de imagens, de forma criativa e interessante.


Composição

Quando estamos a colocar elementos gráficos sobre um layout estes não devem ser atirados aleatoriamente. Há uma ordem, mais ou menos dinâmica de relação entre os elementos.

Para isso é usado escala, profundidade e hierarquia.


Profundidade

Perceção da profundidade é a capacidade visual que permite ver o mundo em três dimensões e, para isso, podem ser usadas texturas, sombras, efeitos 3D, linhas do horizonte, etc.


Tipografia

A tipografia tem como objetivo a boa legibilidade e a construção de um visual envolvente, que atraia o leitor e contextualize com o conteúdo e o intuito da publicação. Quando falamos e tipografia, há vários elementos a ter em conta: fontes tipográficas, layout dos textos e tonalidades.

É importante que a tipografia utilizada esteja em acordo com a filosofia e valores da marca.