Os livros são sonhos por descobrir

Os livros são sonhos por descobrir

Paula Sá
2018-04-23
A 23 de abril celebra-se o Dia Mundial do Livro. A este dia foi adicionada a referência aos direitos de autor por ser tão importante dar os devidos créditos a tantos talentosos escritores.

Também neste dia, em 1616, assinala-se a morte de William Shakespeare e outros nomes importantes da literatura. Assim, o dia 23 do quarto mês do ano ficou para sempre designado como um dia para relembrarmos a importância dos livros na vida de cada um de nós. 


Vantagens de ler


Expandir o conhecimento cultural

Estimular a mente

Diminuir os níveis de stress

Melhorar a capacidade analítica

Desenvolver o senso comum

Melhorar as competências de escrita

Ser bom em qualquer idade

Estimular emoções

 Ter acesso a informação credível

Ajudar a passar o tempo



5 sugestões de livros portugueses

 

António Damásio – A Estranha Ordem das Coisas

Neste livro, António Damásio fala do modo como os nossos sentimentos condicionam as nossas invenções culturais, tanto na raiz nas ideias, como no seu sucesso ou fracasso. O autor defende que tudo está intrinsecamente ligado às nossas emoções e que estas devem sempre ser tidas em conta em todos os processos humanos. 

"Os sentimentos dão-nos uma perspetiva momento-a-momento sobre o estado da nossa saúde."


Fernando Pessoa – O Livro do Desassossego

Como o próprio nome indica, o Livro do Desassossego fala sobre a inquietude do narrador, que se sente angustiado com as suas emoções relativas a tudo o que observa e onde expõe dúvidas fundamentais do modernismo. O seu autor é Bernardo Soares, um dos heterónimos de Pessoa. 

"Tudo em mim é a tendência para ser a seguir outra coisa; uma impaciência da alma consigo mesma, como com uma criança inoportuna; um desassossego sempre crescente e sempre igual. Tudo me interessa, mas nada me prende."


Vergílio Ferreira – Para Sempre

Numa introspeção profunda, a personagem principal deste livro, Paulo, fala-nos da vida, da morte e do sofrimento. Sentimos a dor com a personagem, identificamo-nos com a sua angústia e nela revemos muitos dos desafios que enfrentamos ao longo da nossa vida, com uma linguagem muito bonita e dolorosa.

"Sê calmo até à estupidez como a vida. E todavia. Dar a volta por quanto existi – e exististe tanto. Porque uma vida humana. Como ela é intensa. Porque o que nela acontece não é o que nela acontece mas a quantidade de nós que acontece nesse acontecer."


Almeida Garrett – Viagens na minha terra

O autor narra um romance entre Joaninha e Carlos, em paralelo à sua viagem de Lisboa a Santarém.  É um livro que intercala a viagem de comboio do narrador e o relato de uma história de amor de uma forma fluída e cativante, sendo por isso uma obra inovadora e irreverente.  

"E dizem que saudades que matam! Saudades dão vida; são a salvação de muita coisa que, em seu pleno gozo e posse pacífica, pereceria de inanição ou morreria da opressora moléstia da saciedade."



Sophia de Mello Breyner – Poesia

O título deste livro não podia ser mais justo, adequado e simples - uma obra da conceituada e aclamada poeta portuguesa. Note-se que dizemos poeta, e não poetisa, porque Sophia não gostava dessa distinção entre mulheres e homens. 

Pudesse eu não ter laços nem limites,

Ó vida de mil faces transbordantes

Pra poder responder aos teus convites

Suspensos na surpresa dos instantes.   "